Como manter o seu imóvel sempre alugado?

Ter um imóvel alugado é uma ótima forma de obter uma renda passiva, o que serve para reforçar seu planejamento financeiro e ajudar na conquista de objetivos. Porém, um dos receios dos proprietários é a vacância, ou seja, quando o bem fica sem inquilinos.

É possível evitar essa situação com dicas que ajudam a ter sua propriedade sempre alugada. Dessa maneira, você mantém o fluxo financeiro e consegue fazer planos com maior tranquilidade quanto ao investimento.

Na sequência, descubra como agir para diminuir as chances de o seu imóvel ficar vazio e tenha locações mais longas!

 

Mantenha o imóvel com boa apresentação

Causar uma boa impressão nos interessados no imóvel é essencial para aumentar as chances de o processo de locação ser bem-sucedido. Então uma das prioridades deve ser a manutenção da propriedade.

É preciso cuidar dela para que esteja sempre em boas condições, agregando valor e atraindo mais interessados. Isso significa realizar manutenções e reparos de qualidade, conforme for necessário. Se for o caso, vale a pena fazer uma reforma.

Afinal, um imóvel com layout ultrapassado pode se tornar muito mais rentável ao passar por mudanças na disposição dos ambientes, por exemplo. Portanto, cuidar bem dele é o primeiro passo para tê-lo sempre alugado.

 

Conheça o perfil do locatário ideal

Outra parte importante do processo de locação de imóvel consiste em conhecer o perfil de quem aluga. Dependendo da localização, do tipo de propriedade e mesmo das condições do mercado será necessário direcionar os esforços para públicos distintos.

Se o imóvel estiver em uma região próxima a grandes empresas, o público-alvo pode ser composto por jovens profissionais, por exemplo. Já um imóvel em um bairro residencial e com escolas por perto, provavelmente, atrairá famílias.

Entender o que o provável locatário do seu imóvel procura ajuda a compreender o que deve ser destacado e como fazer a apresentação. Desde as fotos até o texto de divulgação, tudo deve ser focado em quem ocupará o espaço.

 

Conte com o apoio de uma imobiliária

Tão importante quanto manter o imóvel alugado de maneira contínua é garantir que isso seja feito dentro da lei e com segurança para todas as partes. Para que seja possível, o ideal é buscar ajuda de uma imobiliária.

A empresa ficará responsável pela divulgação do imóvel e conseguirá alcançar mais pessoas com suas iniciativas. Assim, há mais chances de encontrar um locatário em menos tempo, evitando a vacância.

Além disso, a imobiliária fica responsável por elaborar o contrato de locação, de conferir os documentos e de dar prosseguimento às etapas burocráticas. Dessa maneira, é possível agilizar os trâmites e dar mais confiabilidade ao processo, o que favorece a locação.

 

Considere ser flexível nas condições

Na hora de definir o tipo de contrato e as condições para a locação, vale a pena ser flexível, caso deseje alugar o imóvel por períodos maiores. Isso é importante porque contratos muito restritivos ou que não são equilibrados para locador e locatário costumam ser menos aceitos.

Em vez de criar regras estritas, como em relação à presença de animais de estimação, vale ponderar se isso é realmente necessário. Faz mais sentido usar mecanismos para garantir a integridade do imóvel, como as garantias que servem para cobrir possíveis danos.

Por falar nas garantias, também é preciso ter cuidado para não estabelecer exigências excessivas. Por lei, só é permitido exigir um tipo, como fiança, seguro-fiança ou caução. Atender a essas regras não apenas evitará problemas futuros como tornará mais fácil o encontro do inquilino.

Outra questão envolve o preço. Como o foco é o longo prazo, pode ser mais interessante estar aberto à negociação do aluguel. Assim, você mantém o locatário por mais tempo no imóvel.

 

Crie uma boa relação com o inquilino

Não são somente as condições do imóvel ou do contrato que favorecem a continuidade do aluguel. A relação entre locador e locatário também é fundamental, especialmente em mercados com grande disponibilidade de imóveis.

A intenção é fazer com que o inquilino fique satisfeito com a locação e que tenha qualidade de vida no endereço. Assim, aumentam as chances de ele querer manter o contrato e mesmo renová-lo. Na prática, é crucial para que a propriedade se mantenha alugada.

Para favorecer esse relacionamento, convém buscar contato frequente com o inquilino. Se houver um conserto necessário que não tenha sido causado por quem aluga e usa o imóvel, fazer o reparo com rapidez fortalece a relação, por exemplo.

Também é preciso estar disponível para tirar dúvidas e prestar suporte, dentro do possível e em parceria com a imobiliária.

 

Aproveite a antecipação de aluguéis

Para potencializar a renda passiva do aluguel, é interessante buscar novas soluções. E uma delas é conhecida como antecipação de aluguéis. Graças a ela, você poderá mudar o fluxo financeiro do contrato de locação, adaptando-o às suas necessidades.

A antecipação de recebíveis consiste no pagamento, feito de uma só vez, dos valores que seriam recebidos ao longo do tempo. O processo é realizado por uma empresa especializada em soluções financeiras.

No caso, a antecipação de aluguéis permite que você receba de 1 a 12 meses de locação, com desconto. Assim, é possível ter o dinheiro em caixa sem a necessidade de esperar o pagamento mensal do inquilino.

Outra vantagem é que há isenção no Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF).

Ao recorrer a essa alternativa, você pode obter um montante financeiro significativo, o que o ajuda a realizar planos, fazer reformas no imóvel ou mesmo investir em outro. Além disso, não precisa mais se preocupar com a inadimplência, que passa a ser responsabilidade da empresa escolhida.

Ao adotar essas recomendações, você tem mais chances de manter seu imóvel alugado por períodos mais longos. Dessa forma, pode gerenciar melhor seus recursos, obtendo renda passiva com mais previsibilidade e tranquilidade.

Quer saber mais sobre a antecipação de aluguéis? Acompanhe nossas publicações no Instagram, Facebook, LinkedIn e Youtube!

Built to suit: o que é e como funciona o contrato de locação BTS?

Quem trabalha no mercado imobiliário ou se interessa pelas soluções do setor precisa ficar atento às tendências. Quando se trata de locação, os contratos built to suit (BTS) se destacam entre as possibilidades ofertadas.

O conceito surgiu nos Estados Unidos, mas já foi regulamentado no Brasil. Dessa maneira, ele pode trazer novas maneiras de fazer contratos. No entanto, também existem diversas dúvidas sobre o assunto.

Assim, é essencial compreendê-lo para saber como lidar com essas alternativas em meio às oportunidades. Para entender o que é built to suit, continue a leitura e descubra como funciona essa modalidade de locação!

 

O que é built to suit?

O primeiro passo para conhecer o conceito é considerar a sua tradução. Em português, built to suit poderia ser interpretado como “construído para servir”. Portanto, trata-se de um contrato de locação que envolve uma personalização maior em relação ao imóvel.

Nesse caso, ele será reformado ou construído a partir das necessidades do locatário. Assim, os custos são cobertos pelo próprio inquilino ao longo do contrato. Logo, o proprietário recebe de volta o valor que foi investido e ainda garante o aluguel.

Outro ponto importante é a sua destinação: o contrato é aplicável somente às locações não residenciais em território urbano. Por isso, não é possível utilizar a modalidade para imóveis que serão usados como moradia ou se localizem em áreas rurais.

 

Regulamentação no Brasil

Essa modalidade de contrato de aluguel foi regulamentada no Brasil em 2012, pela Lei no 12.744. Na legislação, a nomenclatura utilizada é “locação nos contratos de construção ajustada”. De acordo com a norma, ele traz mais liberdade em relação aos termos acordados.

Nesse caso, o acordo é feito por tempo determinado, mas não há limitações em relação ao prazo, por exemplo, nem existe a conversão automática em contrato por tempo indeterminado. Na prática, prevalecerão as condições previstas, que devem abordar:

  • condições referentes à construção ou reforma;
  • prazo de duração do contrato;
  • valores que serão pagos pelo inquilino.

Além disso, a lei estabelece duas questões importantes. A primeira é que o proprietário não pode reaver o imóvel antes do prazo indicado no contrato. Já a segunda determina que o locatário não pode devolver a propriedade de maneira antecipada, exceto se arcar com a multa contratual.

Vale saber que penalidade também não pode exceder o valor da soma dos aluguéis a receber até o término do prazo inicialmente pactuado.

Ademais, as regras da Lei do Inquilinato devem ser observadas sempre que a legislação específica não trouxer normas sobre determinado assunto. Ou seja, questões como garantias, ação de despejo, entre outras dessa lei, continuam válidas.

 

Como funciona esse tipo de contrato?

Devido à sua finalidade diferenciada, o BTS conta com algumas características específicas em seu funcionamento. Nesse caso, os clientes costumam ter critérios mais detalhados e aprofundados sobre as suas necessidades.

Assim, questões como distribuição de espaços, quantidade de salas, mobiliário, acabamentos e outros itens relacionados ao imóvel podem ser incluídos no contrato. A partir das informações, o proprietário desenvolve um projeto que atenda às demandas do inquilino.

Em contrapartida, os aluguéis são firmados por períodos mais longos — entre 15 e 20 anos, normalmente. Isso porque é preciso garantir o retorno para o investimento feito pelo proprietário, cujos valores são diluídos ao longo do tempo.

Por isso, também é importante ter em mente que o valor do aluguel é superior. Afinal, além do custo de locação, ele será influenciado pelo total investido na reforma ou na construção da propriedade.

Tudo isso aumenta a complexidade do contrato, já que traz mais obrigações e responsabilidades para as partes.

 

Quais são as vantagens do contrato BTS?

Entendendo o conceito e o funcionamento do contrato built to suit, fica mais fácil identificar as vantagens. Uma delas é a longa duração. Isso traz mais segurança para o proprietário, especialmente diante do investimento que será realizado.

Outro benefício é a redução do período de vacância do imóvel, já que o contrato é firmado de forma constante por muitos anos — evitando a alta rotatividade de inquilinos e os impactos no retorno obtido.

Também há a maior segurança em relação ao retorno do investimento, devido às condições contratuais.  Todos esses benefícios se aplicam, ainda, à imobiliária responsável por intermediar a negociação. Afinal, ela obtém rendimentos a partir dos ganhos recebidos pelo proprietário. 

Além disso, vale saber que há benefícios para o locatário. Tendo em vista que a modalidade é voltada aos contratos de locação comercial, a boa manutenção do imóvel é essencial devido a questões como ponto de venda e estrutura disponível.

Outro ponto é que não há preocupações com a possibilidade de ter que deixar o local antes do planejado, nem em procurar outro imóvel que atenda às suas necessidades. Ademais, há a vantagem de o imóvel ser entregue pronto e adequado ao que a empresa precisa.

Logo, não é preciso fazer reformas por conta própria ou ter uma alta disponibilidade de capital para realizar mudanças necessárias. Conhecer essas vantagens é essencial para apresentar propostas e aumentar as chances de fechar contratos com esse modelo de locação.

 

Quais são as desvantagens desse contrato?

Por outro lado, o modelo também pode trazer algumas desvantagens. Dessa maneira, é fundamental avaliá-las para tomar decisões mais acertadas sobre o modelo de contrato que será usado.

Para imobiliárias, isso é importante para conseguir informar aos clientes sobre todos os detalhes do BTS. Para o proprietário sempre há o risco de inadimplência. Porém, ela pode ser mitigada com o uso de garantias locatícias ou, até mesmo, a antecipação de aluguel.

Nesse caso, você consegue receber valores de maneira imediata, apenas com um desconto. A antecipação também permite levantar caixa para realizar planos ou cobrir os custos referentes à reforma ou construção de maneira mais rápida.

Outro ponto contra trata da dificuldade que pode surgir para locar o imóvel novamente, caso o contrato não seja renovado. Afinal, a personalização feita pode não ser adequada a outros tipos de negócio, exigindo novas reformas e custos.

Já para os inquilinos, o valor mais alto da locação e a obrigatoriedade de cumprir o prazo ou arcar com a multa podem ser desvantagens. Assim, é preciso considerar tudo isso antes de fechar contrato.

Como você viu, o contrato built to suit traz novas possibilidades para a locação de imóveis comerciais. Portanto, vale a pena conhecer o funcionamento dessa opção para avaliar se ela é viável — e ter condições de esclarecer as dúvidas dos clientes na imobiliária.

Que tal aprender mais dicas sobre contratos de locação? Veja tudo o que você precisa saber sobre a antecipação de aluguel!