6 Vantagens de alugar o seu imóvel agora mesmo!

Alugar imóvel ainda é um assunto que gera certo receio ou resistência em alguns proprietários. Apesar disso, é importante ter uma visão mais clara e objetiva do tema, pois a locação pode resultar em diversas vantagens.

O mercado de aluguel de imóveis tem crescido e conquistado mais espaço. Mesmo com a pandemia de Covid-19, o volume de buscas por casas para alugar teve um aumento de 668% em agosto de 2020, em relação ao mesmo mês de 2019.

Isso mostra que as pessoas se interessam cada vez mais em alugar um imóvel. Pelo mesmo motivo, os investimentos no mercado imobiliário atraem mais investidores. Mas se você ainda tem dúvidas se vale a pena recorrer à alternativa, confira 6 vantagens de colocar seu imóvel para locação!

 

1.     Obter renda extra

Você já deve imaginar que uma das principais vantagens de alugar seu imóvel está diretamente relacionada ao lado financeiro. Quem visa ter uma renda extra todos os meses, por exemplo, pode se interessar em colocar sua casa ou seu apartamento para locação.

O valor recebido mensalmente pode ser utilizado de diversas formas. É possível fazer investimentos pessoais, ajudar sua família, planejar uma viagem ou pagar os estudos dos filhos, entre outros planos. Quem já é aposentado pode usar o valor para complementar o benefício e ter mais conforto.

 

2.     Reduzir custos

Outro ponto interessante do aluguel é que o inquilino fica responsável pelo pagamento de diversas taxas que você teria que arcar caso a propriedade estivesse desocupada. Isso significa que você poderá economizar, pois deixará de pagar alguns encargos do imóvel.

O condomínio é um exemplo de despesa que pode representar uma boa economia para o proprietário. O valor referente às despesas ordinárias é obrigação do inquilino, então ele deverá arcar com os pagamentos mensais.

Além disso, é possível que as partes combinem que o IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) será pago pelo morador. Assim, o proprietário pode ficar isento dessa taxa mensal ou anual. O mesmo vale para despesas como seguros e outras taxas municipais.

 

3.     Aumentar o patrimônio

Ainda considerando a parte financeira, utilizar o seu imóvel como investimento e colocá-lo para alugar é uma forma de aumentar o seu patrimônio. Afinal, os valores recebidos podem ser investidos de outras formas, enquanto a propriedade se expõe às valorizações do mercado até a venda.

Cabe ressaltar que um patrimônio maior e mais desenvolvido permite conquistar maior segurança financeira. No entanto, é importante que o processo de locação seja feito por meio de uma imobiliária.

Ela é capaz de emitir o recibo apropriado para colocar na declaração do Imposto de Renda, tanto de pessoa física quanto jurídica. Isso é essencial para comprovar seus ganhos e não ter problemas com o fisco.

Também há suporte em todas as etapas e maior segurança no contrato. Se a locação é feita diretamente com o inquilino, você terá mais trabalho e dificuldade para comprovar a renda do aluguel — além de correr mais riscos.

 

4.     Correr menos riscos em relação a outros investimentos

Quem aluga seu imóvel pode obter um retorno alto sem grandes riscos. A maioria dos investimentos financeiros disponíveis no mercado que oferecem oportunidade de rentabilidade considerável apresenta fortes oscilações e maiores perigos.

Contudo, ainda que o mercado imobiliário passe por oscilações, em longo prazo a tendência é que ele traga segurança para o patrimônio. Nesse caso, um dos maiores riscos de disponibilizar sua propriedade para locação é a inadimplência.

No entanto, a Lei do Inquilinato apresenta diversas formas de garantias locatícias — caução, fiador, seguro-fiança, entre outras. Assim, o proprietário pode escolher aquela que for mais adequada conforme as suas necessidades e o perfil do inquilino.

O objetivo é garantir a proteção do locatário, de forma que ele possa receber os valores dos aluguéis corretamente. A maior preocupação, então, é manter a propriedade sempre ocupada.

Para tanto, é possível contar com o auxílio de uma imobiliária, como você verá adiante. Ademais, os contratos costumam ser feitos por longos períodos. Isso reduz os riscos de vacância ou, ao menos, garante o recebimento de multas devido à rescisão antecipada pelo inquilino.

 

5.     Poder contar com ajuda profissional

Outra vantagem interessante de alugar seu imóvel é poder delegar a um profissional o trabalho que você teria com o processo de locação. Para isso, procure uma imobiliária da sua confiança.

A empresa trabalhará inicialmente na divulgação da propriedade para encontrar potenciais locatários. Ela também auxilia na precificação, de acordo com o momento do mercado. A imobiliária também fica responsável por intermediar as visitas e fazer as negociações.

Ao mesmo tempo, ela ajuda o potencial inquilino a negociar o contrato, comprovar renda e apresentar as garantias. Isso ajuda a assegurar que você terá a segurança necessária para receber o aluguel e os encargos mensalmente.

Após a assinatura do contrato, se você desejar, a imobiliária poderá ser a responsável por cuidar do seu imóvel — no papel de administradora. Ela aumenta a segurança em relação ao pagamento do aluguel e dos encargos, além de auxiliar nos reparos necessários. Em caso de inadimplência, a empresa aciona as garantias e adota procedimentos de cobrança.

Por fim, se necessário, ela auxilia nos procedimentos judiciais para receber o valor ou retomada de posse do imóvel com o despejo. Além disso, para garantir que o local não fique desocupado, ela entra em seguida com o processo de divulgação.

 

6.     Poder contar com a antecipação de aluguéis

A antecipação de aluguéis é outro benefício importante. Ela pode ser feita tanto por pessoas físicas quanto jurídicas que sejam locadores. Esse processo permite que o proprietário receba à vista os valores referentes a até 12 meses de locação, com desconto.

A operação ocorre de modo rápido e sem burocracia e você receberá o montante para usar da forma que quiser ou precisar. Porém, para usufruir dessa vantagem, o imóvel deve ser administrado por uma imobiliária parceira.

Como você viu, colocar um imóvel para alugar oferece muitas vantagens para o proprietário — e você conheceu 6 delas. A prática permite contar com uma renda extra mensal e fixa, trazendo maior segurança financeira.

Ainda, a antecipação de aluguéis permite acesso mais rápido ao montante a ser recebido para você investir como quiser ou precisar.

Gostou do assunto? Então complemente a leitura e confira 4 dicas para ganhar mais com o aluguel do seu imóvel!

Como manter o seu imóvel sempre alugado?

Ter um imóvel alugado é uma ótima forma de obter uma renda passiva, o que serve para reforçar seu planejamento financeiro e ajudar na conquista de objetivos. Porém, um dos receios dos proprietários é a vacância, ou seja, quando o bem fica sem inquilinos.

É possível evitar essa situação com dicas que ajudam a ter sua propriedade sempre alugada. Dessa maneira, você mantém o fluxo financeiro e consegue fazer planos com maior tranquilidade quanto ao investimento.

Na sequência, descubra como agir para diminuir as chances de o seu imóvel ficar vazio e tenha locações mais longas!

 

Mantenha o imóvel com boa apresentação

Causar uma boa impressão nos interessados no imóvel é essencial para aumentar as chances de o processo de locação ser bem-sucedido. Então uma das prioridades deve ser a manutenção da propriedade.

É preciso cuidar dela para que esteja sempre em boas condições, agregando valor e atraindo mais interessados. Isso significa realizar manutenções e reparos de qualidade, conforme for necessário. Se for o caso, vale a pena fazer uma reforma.

Afinal, um imóvel com layout ultrapassado pode se tornar muito mais rentável ao passar por mudanças na disposição dos ambientes, por exemplo. Portanto, cuidar bem dele é o primeiro passo para tê-lo sempre alugado.

 

Conheça o perfil do locatário ideal

Outra parte importante do processo de locação de imóvel consiste em conhecer o perfil de quem aluga. Dependendo da localização, do tipo de propriedade e mesmo das condições do mercado será necessário direcionar os esforços para públicos distintos.

Se o imóvel estiver em uma região próxima a grandes empresas, o público-alvo pode ser composto por jovens profissionais, por exemplo. Já um imóvel em um bairro residencial e com escolas por perto, provavelmente, atrairá famílias.

Entender o que o provável locatário do seu imóvel procura ajuda a compreender o que deve ser destacado e como fazer a apresentação. Desde as fotos até o texto de divulgação, tudo deve ser focado em quem ocupará o espaço.

 

Conte com o apoio de uma imobiliária

Tão importante quanto manter o imóvel alugado de maneira contínua é garantir que isso seja feito dentro da lei e com segurança para todas as partes. Para que seja possível, o ideal é buscar ajuda de uma imobiliária.

A empresa ficará responsável pela divulgação do imóvel e conseguirá alcançar mais pessoas com suas iniciativas. Assim, há mais chances de encontrar um locatário em menos tempo, evitando a vacância.

Além disso, a imobiliária fica responsável por elaborar o contrato de locação, de conferir os documentos e de dar prosseguimento às etapas burocráticas. Dessa maneira, é possível agilizar os trâmites e dar mais confiabilidade ao processo, o que favorece a locação.

 

Considere ser flexível nas condições

Na hora de definir o tipo de contrato e as condições para a locação, vale a pena ser flexível, caso deseje alugar o imóvel por períodos maiores. Isso é importante porque contratos muito restritivos ou que não são equilibrados para locador e locatário costumam ser menos aceitos.

Em vez de criar regras estritas, como em relação à presença de animais de estimação, vale ponderar se isso é realmente necessário. Faz mais sentido usar mecanismos para garantir a integridade do imóvel, como as garantias que servem para cobrir possíveis danos.

Por falar nas garantias, também é preciso ter cuidado para não estabelecer exigências excessivas. Por lei, só é permitido exigir um tipo, como fiança, seguro-fiança ou caução. Atender a essas regras não apenas evitará problemas futuros como tornará mais fácil o encontro do inquilino.

Outra questão envolve o preço. Como o foco é o longo prazo, pode ser mais interessante estar aberto à negociação do aluguel. Assim, você mantém o locatário por mais tempo no imóvel.

 

Crie uma boa relação com o inquilino

Não são somente as condições do imóvel ou do contrato que favorecem a continuidade do aluguel. A relação entre locador e locatário também é fundamental, especialmente em mercados com grande disponibilidade de imóveis.

A intenção é fazer com que o inquilino fique satisfeito com a locação e que tenha qualidade de vida no endereço. Assim, aumentam as chances de ele querer manter o contrato e mesmo renová-lo. Na prática, é crucial para que a propriedade se mantenha alugada.

Para favorecer esse relacionamento, convém buscar contato frequente com o inquilino. Se houver um conserto necessário que não tenha sido causado por quem aluga e usa o imóvel, fazer o reparo com rapidez fortalece a relação, por exemplo.

Também é preciso estar disponível para tirar dúvidas e prestar suporte, dentro do possível e em parceria com a imobiliária.

 

Aproveite a antecipação de aluguéis

Para potencializar a renda passiva do aluguel, é interessante buscar novas soluções. E uma delas é conhecida como antecipação de aluguéis. Graças a ela, você poderá mudar o fluxo financeiro do contrato de locação, adaptando-o às suas necessidades.

A antecipação de recebíveis consiste no pagamento, feito de uma só vez, dos valores que seriam recebidos ao longo do tempo. O processo é realizado por uma empresa especializada em soluções financeiras.

No caso, a antecipação de aluguéis permite que você receba de 1 a 12 meses de locação, com desconto. Assim, é possível ter o dinheiro em caixa sem a necessidade de esperar o pagamento mensal do inquilino.

Outra vantagem é que há isenção no Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF).

Ao recorrer a essa alternativa, você pode obter um montante financeiro significativo, o que o ajuda a realizar planos, fazer reformas no imóvel ou mesmo investir em outro. Além disso, não precisa mais se preocupar com a inadimplência, que passa a ser responsabilidade da empresa escolhida.

Ao adotar essas recomendações, você tem mais chances de manter seu imóvel alugado por períodos mais longos. Dessa forma, pode gerenciar melhor seus recursos, obtendo renda passiva com mais previsibilidade e tranquilidade.

Quer saber mais sobre a antecipação de aluguéis? Acompanhe nossas publicações no Instagram, Facebook, LinkedIn e Youtube!

Quais as principais dificuldades para alugar um imóvel? Descubra!

Quem pretende alugar um imóvel pode ter algumas dificuldades para fechar o contrato ou encontrar inquilinos. Isso se deve a diversos fatores — com destaque à segurança necessária para evitar a inadimplência dos locatários.

Contudo, existem algumas soluções interessantes para diminuir esses problemas e facilitar a contratação. Para isso, é fundamental encontrar meios legais de oferecer diferenciais e condições especiais aos interessados.

Neste conteúdo você conhecerá as principais dificuldades ao alugar um imóvel e algumas soluções para elas. Confira!

 

Quais são as principais dificuldades ao alugar um imóvel?

As imobiliárias ou o proprietário que possuem imóveis para alugar podem notar algumas dificuldades para conseguir um locatário. Isso se deve, principalmente, à segurança necessária para garantir o pagamento mensal dos aluguéis.

Também existem outros empecilhos para o aluguel atualmente. A seguir, você conhecerá as principais dificuldades no momento de alugar um imóvel. Acompanhe!

 

Anúncios

A primeira dificuldade que pode surgir ao alugar um imóvel são os anúncios. Como existem muitos imóveis disponíveis para locação, ter destaque e mostrar os diferenciais da sua opção é fundamental para chamar a atenção.

Uma boa ideia nesse momento é utilizar opções online para que os interessados conheçam o imóvel. Dessa maneira, tirar boas fotos, fazer vídeos e demonstrar o maior número de detalhes possível é essencial.

Lembre-se de que muitas pessoas estão mudando para o local e não têm como visitar pessoalmente o imóvel. Logo, quanto mais informações claras e precisas o interessado tiver, mais chances você terá de locar o bem.

 

Garantias

Como você viu, as garantias necessárias para o pagamento do aluguel são um fator importante para a locação. Nesse sentido, existem diversas modalidades que podem ser utilizadas para ter mais segurança.

A lei de inquilinato fala sobre a fiança, a caução, o seguro fiança e a cessão fiduciária. A escolha entre elas é delicada, pois todas as opções podem ser consideradas difíceis de cumprir ou trazer uma grande burocracia para as partes.

A fiança, por exemplo, normalmente exige que o locatário encontre uma pessoa de confiança e que tenha imóveis em seu nome. Já o seguro fiança precisa ser pago anualmente pelo inquilino, o que aumenta as despesas com aluguel.

Dessa forma, encontrar soluções menos burocráticas é fundamental para facilitar o procedimento. Vale lembrar que não há exigência legal de que seja requerida uma garantia, mas elas trazem mais segurança ao locador e são comumente solicitadas nos contratos de locação.

 

Comprovação de renda e análise de crédito

Outra dificuldade comum de um contrato de aluguel é a comprovação de renda e a análise de crédito. É fundamental verificar se o futuro inquilino terá condições de pagar os aluguéis mensais. Dessa forma, é preciso que ele apresente comprovantes de renda.

Essa comprovação pode gerar alguns problemas. Primeiro porque, usualmente, a renda exigida do locatário deve ser igual ou maior do que três vezes o custo da locação. Lembrando que não há regra específica sobre o assunto, mas essa exigência é comum no mercado.

Se a parte é empregada, apresentará os recibos de salário, a carteira de trabalho e outros documentos para comprovação de renda. Entretanto, os autônomos e empresários podem ter mais dificuldades nesse momento, trazendo mais insegurança para imobiliária e proprietário.

 

Alta oferta do mercado

Em algumas regiões, a alta oferta de imóveis para alugar também pode gerar dificuldades para proprietários e imobiliárias. Nessa hora, como você já viu, é fundamental conseguir se destacar e reduzir burocracias.

A facilidade para a locação é um grande destaque e deve ser explorada quando possível. Além disso, a ajuda de uma boa imobiliária e corretores competentes também faz a diferença. É fundamental que o imóvel seja acessível, com boa estrutura e a contratação seja a mais eficiente possível.

 

Elaboração do contrato

Muitos proprietários têm dificuldades com a elaboração do contrato, principalmente aqueles que não utilizam imobiliárias. A lei de inquilinato dispõe sobre as regras aplicáveis a esses contratos e, se elas não forem respeitadas, pode haver anulação e até mesmo cobrança de indenizações.

Logo, é preciso se atentar aos valores cobrados, as garantias possíveis, as penalidades em caso de inadimplência etc. Além disso, questões a respeito das responsabilidades de cada parte também são fundamentais, principalmente em contratos de longo prazo.

Dessa maneira, é fundamental se atentar a essas regras e saber quais são os limites de cada cláusula. Além de trazer mais dificuldades para a locação, problemas com o contrato podem gerar ilegalidades e dores de cabeça para ambas as partes.

 

Como superar essas dificuldades?

Depois de conhecer as principais dificuldades no momento de alugar um imóvel, é fundamental saber como superá-las, não é mesmo? Como você viu, muitas delas dizem respeito à burocracia e às garantias no recebimento do aluguel.

Se você é proprietário, nossa primeira dica para diminuir essas dificuldades é contar com o apoio de uma imobiliária. Ela terá o conhecimento necessário para cumprir a legislação sobre o assunto e elaborar um contrato legal.

Com isso, você reduz diversos problemas que podem ocorrer antes e durante a locação. Essa atitude também facilita os anúncios e o alcance de pessoas que poderão visualizar o seu imóvel, potencializando o número de interessados.

Para as imobiliárias, é preciso procurar formas de facilitar a contratação. Por exemplo, oferecendo mais benefícios às partes. Uma dica que pode fazer a diferença nas locações é a opção de antecipação de aluguéis.

Você conhece essa prática? Confira a seguir!

 

A antecipação de aluguéis

A antecipação de aluguel é um mecanismo que permite ao proprietário antecipar os recebimentos do aluguel de uma só vez. Além da geração de liquidez, a alternativa também oferece maior segurança ao locador e pode contar com isenção de  Imposto de Renda, conforme a legislação vigente.

Para oferecer essa solução, a imobiliária deve ter parceria com uma empresa especializada no assunto, como a Bold Finance. Ela fará uma avaliação do contrato e verificará a possibilidade de antecipar o recebimento dos aluguéis.

Com isso, o proprietário pode receber até 12 meses em uma só vez, com desconto. Logo, existem diversas vantagens. A primeira, claro, é o locador poder ter dinheiro nas mãos de forma antecipada. Além disso, a solução permite ao proprietário escolher a forma de recebimento que melhor lhe atenda.

Os riscos de inadimplência também deixam de preocupar o proprietário, pois serão repassados para a empresa parceria. Para a imobiliária, a antecipação de aluguéis é um diferencial que pode ajudar a atrair mais locadores interessados em fazer negócio com ela.

Assim, pode ser uma solução eficiente para as principais dificuldades de alugar um imóvel que você viu aqui. Sobre o valor antecipado há um pequeno desconto, cujo montante dependerá da análise do contrato.

Como você viu, existem algumas dificuldades no momento de alugar um imóvel. Entretanto, sabendo quais são as principais, é possível planejar melhor suas estratégias e buscar soluções. Nesse sentido, a antecipação de aluguéis pode ser uma aliada para evitar problemas.

Quer conhecer melhor como funciona a antecipação de aluguéis? Então entre em contato conosco

O que a pandemia ensinou às imobiliárias? Confira 6 lições!

Você já se perguntou como a pandemia de COVID-19 afetou as imobiliárias? As mudanças de hábitos dos cidadãos e as diversas regras sanitárias impostas trouxeram impactos importantes para todos os setores.

Assim, foi preciso adaptar os negócios para acompanhar as exigências e não perder espaço no mercado. Dessa maneira, as empresas tiveram que se reinventar e, no processo, acabaram aprendendo lições importantes.

Conheça a seguir os desafios trazidos pela pandemia e as 6 lições que ela ensinou às imobiliárias!

 

Quais foram os desafios trazidos pela pandemia às imobiliárias?

A pandemia de COVID-19, que começou em 2020, trouxe desafios para diversos setores. A necessidade de isolamento e distanciamento social por respeito a regras sanitárias mais rígidas mudaram a forma de convivência em sociedade e reduziram o consumo.

De outro lado, indicadores econômicos foram usados para tentar controlar os efeitos — o que influenciou positivamente no mercado imobiliário. Com a baixa histórica da Selic, o acesso a financiamentos ficou mais fácil, além de apresentar oportunidades com relação ao preço dos imóveis.

Assim, apesar de o desemprego e a renda média terem diminuído, o mercado imobiliário se aqueceu. Entretanto, o risco de inadimplência combinado a outros fatores de insegurança foram desafios a serem superados.

Para isso, as imobiliárias precisaram se reinventar e encontrar novas formas de captar e agradar clientes. O meio digital se destaca nesse momento de insegurança em relação a contatos pessoais e riscos de contaminação.

 

Quais lições a pandemia ensinou às imobiliárias?

Com os desafios trazidos pela pandemia, as imobiliárias aprenderam diversas lições. A seguir você conhecerá 6 delas para aplicar agora mesmo no seu negócio e aumentar a captação e as negociações.

Confira!

 

1. Ter um bom controle financeiro

A primeira lição trazida pela pandemia é a necessidade de manter um bom controle financeiro na imobiliária. Com o cenário de incertezas, muitas empresas se viram com problemas financeiros e necessidade de fazer empréstimos.

Um bom planejamento é fundamental para evitar isso e fortalecer a saúde do negócio. Ele permite manter o capital de giro necessário, criar reservas de emergência para eventuais problemas e garantir a continuidade do serviço.

Assim, é fundamental que a imobiliária tenha um setor dedicado às finanças. Com isso, será possível superar dificuldades sem ter que recorrer a endividamentos e outras atitudes que trazem desafios.

 

2. Atualizar-se constantemente

Outra lição importante da pandemia para as imobiliárias diz respeito à atualização. Como você viu, esse setor se aqueceu durante o ano. Mas somente as empresas que entenderam as tendências conseguiram realmente aproveitar o momento.

Dessa maneira, descobrir formas de atender melhor o cliente, saber quais localidades estão valorizadas e se atualizar sobre as oportunidades do mercado é fundamental. Assim, a imobiliária poderá se destacar.

Lembre-se de que as necessidades da população e as oportunidades do mercado mudam constantemente. Dessa forma, saber atrelar essas duas informações e oferecer serviços condizentes garante mais reputação à empresa.

 

3. Conhecer o cliente

Atrelada à atualização está o conhecimento do cliente. A imobiliária precisa saber o que os interessados estão buscando e como oferecer esses imóveis ou serviços a eles. Algumas possibilidades são fazer formulários de satisfação e ter um contato mais pessoal.

O contato mais direto e a pesquisa de satisfação demonstram ao cliente que a imobiliária está interessada nele. Logo, cria-se uma identidade com a empresa e a fidelização aumenta, trazendo benefícios a longo prazo.

Também é fundamental entender a situação financeira geral dos consumidores, saber quais são as formas de pagamento mais utilizadas etc. Dessa maneira, a empresa conseguirá pautar suas ofertas e publicidade com mais eficiência.

 

4. Aumentar a presença online

Apesar de ser uma estratégia bastante utilizada, muitas imobiliárias ainda focam seus recursos no atendimento presencial, deixando o online em segundo plano. Mas a pandemia mostrou a força da internet e como ela pode influenciar diretamente nos negócios.

Como você notou, a pandemia acarretou mudanças na forma de contato com clientes. A necessidade de distanciamento social e outros cuidados sanitários exigiram a adequação da empresa em suas rotinas.

Então, a presença online, que já era importante, tornou-se indispensável. Conseguir atingir os interessados por meio da internet é essencial nesse momento. Isso aumenta a visibilidade da imobiliária e capta mais clientes para a empresa.

 

5. Usar a tecnologia para aumentar os negócios

Além de estar presente na internet, outra lição fundamental da pandemia foi a utilização da tecnologia. Aqui, não se trata apenas da publicidade. Foram utilizadas também soluções inovadoras, como visitas aos imóveis à distância, reuniões por videoconferência, modelos interativos etc.

A ideia é que o cliente possa decidir pela compra ou aluguel sem sair de casa, entendendo todos os pontos do negócio. Nesse momento, muitas empresas começaram a utilizar visitas virtuais aos imóveis em 3D, maquetes virtuais, videoconferências etc.

Assim, os clientes podem analisar todos os detalhes de forma remota. Com as facilidades que isso traz, a tendência é que a tecnologia continue se expandindo, mesmo quando não for mais necessário o distanciamento.

 

6. Oferecer diferenciais

Com os cenários que a pandemia trouxe, uma lição importante para manter a imobiliária relevante é oferecer diferenciais aos clientes. Assim, é preciso se destacar da concorrência não só pela reputação, mas também pelas soluções oferecidas.

Uma estratégia interessante e que se tornou ainda mais relevante durante a pandemia é a antecipação de aluguéis. Você já ouviu falar dessa solução e como ela funciona? Oferecê-la na sua imobiliária é um meio de captar mais locadores e, também, de deixá-los mais satisfeitos.

Com a antecipação, o proprietário recebe o valor de até 12 meses de aluguel de uma só vez, com desconto. Para isso, é preciso ser parceira de uma empresa especializada que oferece essa solução. Ela fará uma análise do contrato de locação e fará uma proposta de antecipação ao proprietário.

O locador recebe o valor em até 2 dias úteis, os aluguéis antecipados são repassados à empresa e a sua imobiliária se destaca pelo diferencial. Considerando que a pandemia trouxe desafios financeiros para diversas pessoas, a antecipação de aluguéis é uma solução interessante.

Agora você já conhece as 6 lições que a pandemia ensinou às imobiliárias. Lembre-se de sempre manter-se atualizado às tendências e oferecer diferenciais aos seus clientes. Dessa maneira, a empresa ganhará espaço no mercado e potencializará os resultados.

Ficou interessado em oferecer a antecipação de aluguéis a seus clientes? Então entre em contato com a Bold Finance!

Imobiliária: conheça a melhor garantia de aluguel para seus clientes!

A garantia de aluguel é uma das principais preocupações de qualquer proprietário. Afinal, o risco de inadimplência existe e pode afetar o recebimento dos valores previstos em contrato, o que afeta todo o planejamento financeiro do locador.

Por lei, há algumas garantias que podem ser usadas, mas todas têm limitações que você precisa considerar. Além das garantias, existe uma nova solução que pode fazer com que a imobiliária e o locador se beneficiem, sem que seja necessário abrir mão da segurança.

Para descobrir qual é a melhor garantia de aluguel, veja quais são as alternativas que a imobiliária pode disponibilizar e entenda as características de cada uma!

 

Como funciona a garantia de aluguel?

A principal função da garantia de um contrato de aluguel é proteger o proprietário em caso de inadimplência por parte do locatário. Caso o inquilino deixe de pagar o aluguel por um mês ou período, a garantia é acionada para que o proprietário não fique no prejuízo.

Cabe ao inquilino escolher entre as formas disponibilizadas pela imobiliária para garantia de aluguel. Assim, ele pode definir o modelo preferencial para o seu contrato.

 

Quais são as garantias do contrato de locação?

A legislação referente à locação imobiliária é clara ao definir quais são os principais tipos de garantia de aluguel aceitos. Ao conhecer as vantagens e limitações de cada um, é possível saber qual decisão faz mais sentido.

A seguir, veja os tipos principais de garantia!

 

Depósito de caução

A caução consiste, normalmente, em um depósito realizado pelo inquilino. Por lei, o montante pode ser de até 3 vezes o valor do aluguel.

A caução também pode consistir em bens móveis ou imóveis, de acordo com a legislação. É muito comum que seja utilizado o título de capitalização como garantia da locação, pois assim é possível garantir um período maior que os 3 meses permitidos para a caução em dinheiro.

Caso haja inadimplência ou algum dano ao imóvel, o valor da caução pode ser usado para compensar o prejuízo. Porém, se o inquilino optar por sair sem maiores problemas, receberá a caução atualizada.

Para o proprietário, a escolha pode acelerar o processo de alugar imóvel, pois oferece facilidade para o inquilino. Contudo, é uma alternativa limitada, já que existe o risco de a inadimplência superar o valor acumulado.

 

Fiador

O fiador é, normalmente, uma pessoa que já tem um imóvel quitado e/ou renda comprovada, que assume a responsabilidade dos débitos não pagos pelo inquilino. Ou seja, se o locatário não cumprir o pagamento do aluguel, o locador pode acionar o fiador, que fica obrigado a quitar a dívida.

Apesar de ser uma das alternativas mais baratas para os envolvidos, o processo não é tão simples. Se o fiador não residir na mesma cidade, por exemplo, pode não ser possível dar sequência ao contrato. Ainda é necessário seguir etapas burocráticas para garantir que o fiador cumpra sua obrigação.

Para o locatário, a alternativa também pode ser relativamente complexa. Afinal, pode não ser possível encontrar uma pessoa disposta a se tornar fiador. Por este motivo, as imobiliárias estão, cada vez mais, oferecendo novas alternativas para garantir os contratos de locação que administram.

 

Seguro-fiança

O seguro-fiança é uma garantia de aluguel disponibilizada pelas seguradoras. Com esse produto, a ideia é que a seguradora faça o pagamento do aluguel nos momentos em que o inquilino não o realizar.

Para tanto, a cobertura do valor de apólice pode ser de até 30 vezes o custo do aluguel, considerando o prazo padronizado de 30 meses do contrato. O mais comum é que seja contratado pelo período de 12 meses, com renovação anual.

Com isso, a alternativa pode ser mais cara para o locatário, o que limita as opções de quem poderá alugar o imóvel.

 

Qual é a melhor garantia de aluguel?

A definição de qual garantia será usada no contrato de locação imobiliária depende de uma série de fatores e de condições personalizadas. É preciso compreender, por exemplo, o nível de proteção esperado pelo locador e quão prática é a escolha.

Também é interessante considerar a possibilidade de negociar com o locatário. Ao flexibilizar a escolha, aceitando qualquer um dos modelos, é possível atrair mais interessados e acelerar a assinatura do contrato, mas é importante não perder de vista a segurança.

Desta forma, é importante que a imobiliária e o locador estejam bem alinhados desde o início do processo de locação, pois a melhor garantia é aquela que atenda adequadamente aos interesses de todos os envolvidos na relação.

Depois de escolhida a garantia e assinado o contrato de locação, o locador que deixa seu imóvel para ser administrado nas melhores imobiliárias ainda pode contar com uma nova solução para usufruir de maior segurança! É o caso da antecipação de aluguel, que pode ser disponibilizada pela imobiliária como uma solução extra e vantajosa. Afinal, garantido mesmo é receber os aluguéis à vista, não é mesmo?!

Nesse caso, o locador pode optar por receber, de uma só vez, o valor referente de 1 a 12 meses de aluguel, com desconto. Logo, é possível receber todo o montante à vista e se livrar do risco de inadimplência sem contrair empréstimos.

Vale ressaltar que a antecipação de aluguéis não se confunde com a garantia prevista em lei, sendo uma venda dos recebíveis de aluguel realizada pelo locador perante empresa especializada, parceira da imobiliária.

 

Por que antecipação de aluguel?

Na prática, a antecipação de aluguel é a melhor solução disponibilizada pelas imobiliárias aos proprietários de imóveis. Primeiramente, ela oferece total autonomia para o locador, que decide o quanto deseja receber e em qual momento.

Também é uma solução pouco burocrática, com depósito realizado em poucos dias e com a possibilidade de isenção no Imposto de Renda. Dessa forma, o locador tem a segurança de receber à vista os aluguéis futuros ainda consegue ter vantagens financeiras.

Além disso, a antecipação de aluguel elimina o risco da inadimplência para o locador, que recebe o montante antecipado e não assume qualquer tipo de empréstimo.

Assim, se o locatário atrasar ou não fizer o pagamento, o locador não é responsabilizado. A empresa assume este risco e pode acionar o inquilino e as garantias do contrato.

 

Vantagens para todos os envolvidos

A imobiliária pode oferecer a antecipação do aluguel como solução para trazer mais valor agregado e para se diferenciar no mercado. É uma forma de apresentar algo que os concorrentes não trazem, gerando mais interesse por parte de novos proprietários, por exemplo.

O locador, por sua vez, não precisa abrir mão dos modelos de garantia e ainda pode aproveitar as facilidades oferecidas pela antecipação a qualquer momento. Para completar, o inquilino não é prejudicado com essa escolha e nem terá que pagar nada a mais por isso.

Como visto, a garantia de aluguel é de grande importância para locação imobiliária e conta com várias opções, como o fiador, o seguro-fiança e a caução. Sem prejudicar ou se confundir com a garantia, a antecipação de aluguel é uma solução complementar que pode trazer vantagens tanto para a imobiliária quanto para o locador.

Quer conhecer melhor sobre antecipação de aluguel e saber como incorporá-la à imobiliária? Fale conosco da Bold Finance e veja o que temos a oferecer!

Vale a pena comprar imóvel para alugar?

Para muita gente, o valor recebido pelo aluguel de um imóvel é uma forma de ganhar a vida ou complementar a renda. Se você considera que essas são possibilidades interessantes e pensa em comprar um imóvel para alugar, hoje vamos te dar algumas dicas para ajudar nessa importante decisão.

Sem dúvidas, a compra de um imóvel é uma decisão que deve ser devidamente analisada. O futuro proprietário precisa considerar vários fatores, como o valor do investimento e o mercado imobiliário em sua região, além de realizar uma boa projeção de gastos e ganhos ao longo do tempo para saber melhor como se preparar e o que esperar.

Tudo isso é importante para que você tenha certeza de que comprar imóvel para alugar é algo que corresponde às suas possibilidades e expectativas. Por isso, preparamos este post para ajudar você a tomar uma decisão segura e tranquila!

Confira abaixo fatores que você precisa considerar em sua avaliação:

Faça uma projeção de ganhos com o imóvel

Comprar um imóvel para alugar é fazer um investimento. Demanda certo tempo até que o investimento “se pague”, ou seja, até que o proprietário ganhe o bastante para cobrir o investimento feito e começar a lucrar a partir daí.

Para tomar sua decisão, você precisa avaliar bem qual tipo de imóvel você tem condições de comprar e todas os fatores a ele atrelados que contribuem para o seu ganho. Por exemplo, se há na região muitos imóveis para alugar, a concorrência influencia o valor a ser cobrado do inquilino e faz pressão no proprietário para que determine um aluguel que pode ter valor mais baixo do que o que você espera receber a cada mês.

Além disso, é importante ter em mente outros fatores que contribuam para a valorização ou desvalorização do imóvel. É o caso de seu estado de conservação, da existência de vagas na garagem, de um sistema de segurança para acesso ao prédio e outros. Busque o máximo de clareza quanto aquilo o que o imóvel pode lhe oferecer para que sua decisão de compra seja segura e o mais acertada possível.

Compare o retorno do aluguel com outras fontes de renda fixa

O aluguel é uma forma de investimento que pode ser comparado a um investimento de renda fixa. Por isso, antes de decidir comprar um imóvel para alugar, é importante avaliar se essa é a melhor decisão ou se, para você, vale mais a pena investir seu dinheiro de outra forma.

É preciso ter em mente que existem, hoje, diversas possibilidades de investimento que variam de acordo com o perfil e os objetivos do investidor. Em todo o caso, o cálculo deve sempre considerar retornos líquidos de impostos e taxas.

Para se ter uma ideia quanto à melhor opção entre comprar um imóvel para alugar ou investir no mercado financeiro, considere que, se você dispõe de uma quantia alta o bastante para comprar um imóvel à vista, pode ter rentabilidade maior se utilizar o dinheiro para fazer uma aplicação em um título de renda fixa como o CDB (Certificado de Depósito Bancário), por exemplo. Trata-se de um investimento de baixo risco e que rende algo próximo à Taxa SELIC.

Nessa análise, é importante saber que não é apenas o provável rendimento do aluguel (valor que corresponde à sua projeção de ganho com o imóvel) que deve ser considerado. No mercado imobiliário, é preciso incluir também o potencial de valorização da propriedade, o que você pode entender melhor assistindo ao vídeo do consultor financeiro Gustavo Cerbasi.

Assim sendo, se o imóvel que você deseja comprar está em uma área da cidade que está passando por revitalizações ou está em expansão, por exemplo, ao longo do tempo seu ganho pode aumentar. Isso porque se a região em que o imóvel está localizado melhora, o valor cobrado pelo aluguel pode subir.

Essa etapa de sua avaliação pode ser feita por meio de consulta ao Plano Diretor da Cidade ou, ainda, junto a imobiliárias da região. Assim, você reúne informações que podem esclarecer questões que são importantes para a escolha do imóvel e para a sua decisão.

Avalie a qualidade do imóvel e os custos atrelados a ele

As características de um imóvel fazem a diferença para a sua valorização no mercado de aluguéis. Algo que, por sua vez, influencia o valor a ser cobrado do inquilino e o ganho do proprietário.

Assim, quer sua ideia seja comprar um imóvel para alugar em um espaço residencial ou quer seja em um espaço comercial, é importante realizar uma vistoria prévia ? o que pode ser feito com auxílio de um corretor ? para avaliar o ambiente.

Além disso, é importante se informar sobre o valor do condomínio. Quando o valor cobrado é alto, pode ser mais difícil para o proprietário alugar o imóvel, o que pode fazer com que seja necessário abaixar o valor do aluguel para encontrar um inquilino. Do contrário, o imóvel pode permanecer vazio por um período mais longo, aumentando suas despesas e, consequentemente, reduzindo seus ganhos.

Considere as chances de ficar sem inquilino por algum tempo

Ao comprar um imóvel para alugar, o proprietário precisa considerar que pode demandar algum tempo para encontrar um inquilino. Além disso, ao final de cada contrato de locação, pode haver outro período de espera e de despesas com condomínio, IPTU e outras enquanto o próximo inquilino não aparece.

É certo que esse não é um fator que você pode controlar, mas está ao seu alcance buscar um imóvel que tenha menos chances de ficar vago por muito tempo.

Além das qualidades do imóvel e fatores a ele atrelados, o futuro proprietário pode contatar corretoras ou administradoras para se informar quanto a vacância de imóveis na região. Isso vale para avaliar tanto para os espaços comerciais quanto os residenciais. Um especialista poderá indicar o tempo médio até que um imóvel seja alugado em determinada localidade.

Dê a devida atenção ao Imposto de Renda

Anteriormente, mencionamos que vale a pena avaliar outros investimentos de renda fixa antes de decidir comprar imóvel para alugar. Além das possibilidades de ganho, é preciso considerar a alíquota do imposto que incide sobre os seus rendimentos.

No post Entenda o Imposto de Renda sobre Aluguel, explicamos como os rendimentos provenientes de uma propriedade alugada podem ser taxados em alíquotas que vão de 0% até 27,5%. Algo que afeta os seus ganhos com o imóvel alugado.

Assim sendo, você precisa considerar com atenção quanto você pode, de fato, ganhar ao comprar um imóvel para alugar, após as despesas com o Imposto de Renda. Com isso em mente, vale saber também que cabe ao proprietário buscar formas de reduzir esse impacto fiscal, sempre em conformidade com as leis. Para tanto, uma das saídas é se informar quanto aquilo o que pode ser deduzido do Imposto de Renda, como o IPTU e o valor do condomínio.

Outra opção é optar pela antecipação de aluguéis e aproveitar de um benefício fiscal que faz com que você economize nos impostos pagos. Uma situação que pode fazer com que comprar imóvel para alugar realmente valha a pena para você.

Ficou com alguma dúvida ou existe alguma outra questão que você queira esclarecer? Deixe o seu comentário para os nossos especialistas!